Make your own free website on Tripod.com

 H. Kellogg  foi cortado porque desagradou Ellen G. White ou por idéias panteístas?

A VERDADE SEMPRE VEM Á TONA!!!

Na Igreja Adventista é muito comum ouvir de alguns conhecedores da história da Igreja que o Dr. J. H. Kellogg foi afastado da IASD em função de idéias panteístas no começo do século XX. Mas corresponde isso aos fatos da época ?. Siga esta pesquisa e descubra por você mesmo.

 

Kellogg e Ellen G. White

J. H. Kellogg era muito admirado por Ellen White que frequentemente o elogiava. Em 1901 (dois anos antes da publicação do polêmico livro) ela chegou a declarar publicamente que ele era "o médico designado por Deus" (Boletim da Conferência Geral, 1901, p. 203).  E numa avaliação honesta da sua influência o site do White State coloca o seu nome e biografia ao lado dos outros pioneiros (uma honraria só concedida a Guilherme Miller, Tiago White, Ellen White, Joseph Bates,  John Andrews, Urias Smith e Goodloe Harper Bell). O próprio site oficial da igreja o define como um homem talentoso, cirurgião, inventor, pioneiro na fisioterapia e escritor prodigioso. Ao dirigir o Sanatório de Battle Creek projetou-o internacionalmente recebendo como pacientes do peso de Dale Carnegie, John D. Rockefeller, Thomas Edison e outros famosos. Para Ellen G. White ele era um velho amigo, cujas horas de juventude tinham muitas vezes sido gastas com a família White, e ela gostava de escrever a ele "como uma mãe escreveria para seu filho".(Testimonies, vol. 8 pág. 190) (Operação Omega, cap. “Eu o ajudaria se pudesse”)

 

Conflitos com a Administração da Igreja

As palavras a seguir são do próprio White State: “Porém, conflitos com os líderes da igreja envolvendo o controle de todas as instituições médicas adventistas levaram-no a uma rixa pessoal com o presidente da IASD  A. G. Daniells. O Dr. J. H. Kellogg havia realizado muito pela IASD ao longo de trinta anos, mas sua influência nas questões ligadas a obra médica incomodava cada vez mais pessoas da administração da obra IASD.

 

Elogios no site atual

Durante sua conexão com a igreja, ele provavelmente fez mais do que qualquer outro homem um trabalho de trazer a atenção do mundo para os adventistas do sétimo dia. No auge da sua influência tinha 2.000 empregados sob seu comando ao passo que todos os outros setores da organização contavam com apenas 1.500 funcionarios.”  (www.whitestate.org)

 

Conflitos com Ellen White

Advertências de Ellen White ligadas primeiro ao seu poder e posteriormente às suas idéias teológicas o desagradaram bastante. E quando ela cometeu o erro de escrever-lhe um testemunho equivocado começou a abertamente questionar os seus escritos para outros lideres da administração. Como foi esta questão do “testemunho equivocado” ?

 

Obtendo informações através de um jornalzinho...

Quando estava na Austrália Ellen G. White ficou sabendo através do periodico “New Yorker-Observer” que o Dr. J. H. Kellogg havia erigido um edifício em Chicago utilizando dinheiro do Sanatório de Batlle Creek. Lá na Austrália ela teve a oportunidade de conversar com o irmão do Dr. Kellogg, Merritt Kellogg sobre este assunto e disse-lhe que iria escrever um testemunho para o irmão dele. Ela lhe mostrou o artigo do New York Observer. Merrit disse que nada sabia sobre o assunto e que a ele não parecia ser a verdade. Ela não deu ouvidos e pediu ao irmão de Kellogg que mantivesse silêncio sobre o assunto.

 

Ellen White escreve um “testemunho” ao Dr. Kellogg

Ela então escreve uma carta ao Dr. Kellogg, na qual afirmou que Deus a mostrou em visão o “custoso edifício do hospital construído em Chicago”. O testemunho que ela lhe dera era em nome do Senhor, mas a informação que haviam passado para ela não correspondia aos fatos: nada fora construído em Chicago.  (Carta 135, de 1903, de EGW a S. N. Haskell, postada em 6 de março de 1903.) O Dr. Kellogg escreveu de volta a ela dizendo que nada havia sido erigido em Chigado e que ela estava mal informada. Ela lhe mandou uma segunda carta com palavras mais pesadas repetindo o mesmo assunto e o Dr. Kellogg mostrou a carta a Willie White reafirmando o engano da mãe dele. O Dr. Kellogg teve então a oportunidade de encontrar-se com Ellen G. White quando ela retornou aos Estados Unidos e disse a ela que não podia aceitar aquele testemunho, pois ele não correspondia a verdade.

NOTA No Tempo do Fim: ...e ainda usou o nome de DEUS! Esta é a profetiza da IASD!!!

 

Willie White opina sobre o assunto da “visão do hospital”

O filho de Ellen G. White, Willie White afirmou em uma carta ao Dr. Stewart, que sua mãe viu o artigo do “New York Observer” em 24 de fevereiro de 1900 e que escreveu a primeira carta a Kellogg em 27 de fevereiro, três dias mais tarde. Ele também afirma que sua mãe acreditava que os edifícios tinham sido erigidos, mas não era o caso e ela não sabia como corrigir o erro cometido. (Merrit G. Kellogg´s Statement, 1908).

 

Ellen White muda sua versão sobre a “visão do hospital”

Sem se desculpar adequadamente, em 1903 desde a Califórnia, Ellen G. White escreve outra carta a J. H. Kellogg e reafirma que a visão era verdadeira, que ninguém lhe havia passado nenhuma informação antes da visão, que o edifício ia ser construído e que a visão teria sido uma advertência para não se gastar o dinheiro de forma inadequada. E como o Dr. Kellogg já havia comentado o assunto com outros, ela disse que ele estava agindo mal em minar a confiança dos adventistas nos ‘testemunhos’. (Abril 2, 1906 MS 33, 1906. Copiado de los manuscritos del Dr. Steward, Junio 5, 1906) (citado em Merrit G. Kellogg´s Statement, 1908) (Depoimento de J. H. Kellogg aos administradores adventistas em 1907 – arquivos da Conferência Geral)

 

A.G. Daniels e J.H. Kellogg

No mesmo ano, 1903, o Dr. Kellogg, atendendo a um pedido do pr. Daniels se põe a escrever um livro para ser publicado pela editora da organização. As relações entre ambos não eram das melhores e a atitude de A.G. Daniels parecia visar o restabelecimento de um bom relacionamento. Entretanto, segundo o pr. Daniels o livro continha idéias panteístas entrelaçadas com o pensamento adventista. Vários dirigentes discordaram dessa posição e disseram que nada havia de errado com o livro.

 

Detalhes sobre o Livro “Living Temple”

Não se pode negar que J. H. Kellogg ao escrever “Living Temple” (1903) utilizou-se habilmente dos textos de Ellen White que pudessem validar as suas "teorias panteístas". E seu livro era “tão bom” que a comissão da Associação Geral encarregada do assunto votou a favor de sua publicação através da editora da Review & Herald. Na verdade, ainda hoje há teólogos adventistas que não vêem panteísmo no livro Living Temple.

 

Silêncio de Ellen White, decisão de Daniels e incêndio na Review

Nessa ocasião (o voto autorizando a publicação) o silêncio de EGW quase custou caro a organização e somente pela ação do pr. A. G. Daniels ao não aceitar o voto da Comissão é que o livro não chegou a ser publicado. Kellogg fez então um pedido de impressão para a Review pagando do próprio bolso e isso foi permitido. Quando os livros ainda estavam no prelo ocorreu um incêndio na Review "de causas desconhecidas".

 

Kellogg não desiste

Mas Kellogg foi adiante e publicou o seu livro por outra editora. A igreja nada fez contra J. H. Kellogg a despeito das idéias que ele apresentou serem contrárias às doutrinas da igreja. Ellen White referiu-se após o episódio que a controvérsia levantada por Kellogg era o "Alfa da apostasia". (Mensagens Escolhidas, Vol. 1, pág. 200; Ellen White, carta 138, 1902; Special Testimonies, Série B, n 7, p 37)

 

A maior surpresa de todas: Kellogg oferece o livro para ser corrigido

Entretanto o Dr. Kellogg surpreendentemente se dispôs a rever seu livro e ajustá-lo ao pensamento da Igreja Adventista. Ofereceu o livro e pediu a diferentes líderes e até mesmo diretamente a Conferência Geral que indicassem as modificações doutrinárias ou ideológicas que deveriam ser feitas. Porém, ninguém se manifestou e J. H. Kellogg percebeu que não era uma disputa teológica, mas administrativa. Seu poder, sua influência, sua não submissão, e seus métodos incomodavam a alta administração e a Ellen G. White: todos queriam ele fora do caminho.

 

Poder e influência

A Igreja tentou de diversas formas diminuir a influência e poder do Dr. Kellogg. Mas sua influência continuava muito forte e mesmo apos o incêndio do Hospital de Batlle Creek (causas desconhecidas), ele influenciou na escolha do local e no estilo da construção do novo Hospital.

 

Quatro anos se passaram

No dia 07 de outubro de 1907, quase quatro anos após os episódios do livro Living Temple, em Battle Creek, Michigan, e seis anos após a visão do suposto hospital em Chicago, Kellogg recebeu em sua casa em Battle Creek representantes da Associação Geral (G. W. Amadon e A. C. Bourdeau) para uma entrevista a fim de que ele livremente pudesse apresentar seus pontos de vista religiosos e especialmente suas atitudes para com os testemunhos de EGW. Até então a Igreja não o havia disciplinado por suas idéias panteistas, mas incomodavam aos lideres cada vez mais as suas opiniões pessoais sobre os ‘testemunhos’ de Ellen White.

 

A reveladora entrevista

A entrevista durou oito horas e foi totalmente registrada por um estenógrafo (J. T. Case e depois Mr. Ashley) e teve ao final cerca de 164 páginas datilografadas, que hoje fazem parte de um arquivo da Associação Geral. Neste documento Kellogg afirmou que Ellen White ‘tinha a intenção de ser uma mulher cristã mas seus testemunhos não eram dignos de confiança’. Ele mencionou vários casos nos quais ela contradizia fatos conhecidos, contradizia o que ela mesma havia escrito e negava o que havia dito. Mencionou casos em que os dirigentes a usavam para obter testemunhos que se adaptassem aos seus propósitos.

Mencionou também casos nos quais os dirigentes haviam eliminado dos testemunhos partes das quais eles não gostavam, colocavam junto outras partes para modificar o significado e assim, com o nome dela abaixo, usavam os testemunhos para fazer valer os seus propósitos e rebaixar os homens que desejavam silenciar. Falou que ele nunca tinha recebido nenhuma visita de nenhuma pessoa da liderança da igreja até aquele dia; que nunca recebeu nenhuma carta ou advertência de Ellen G. White que falasse diretamente sobre seu livro Living Temple.

Contou também sobre suas crenças e afirmou: “Eu não sou um panteísta e vocês sabem disso.(...) Se eu cometi qualquer erro no livro Living Temple (Templo Vivo), eu estou disposto a corrigí-lo. Sempre estive disposto a corrigi-lo. Eu só pedi que mostrassem a mim onde.” Kellogg continuou: “O pr. Daniells disse ao professor Sutherland no Concílio (após aqueles fatos): ‘nós cometemos um erro ao atacar a teologia daquele livro’.” E Kellogg adicionou a Amadon e Bourdeau: “Eu estou falando a vocês a verdade diante do Senhor.”

NOTA No Tempo do Fim: Ainda hoje, este é o estilo da corporação  - Não nos mostrar, biblicamente, onde está o "nosso" erro doutrinal...

 

Terrível afirmação feita sobre Ellen White

Na pagina 51 desta entrevista (relatório) ele fez referência a um episódio no qual ele, face a face com Ellen White, disse a ela que ela havia se equivocado escrevendo "testemunhos" para ele com coisas que não eram verdade e ela admitiu o seu equivoco. Na pagina 62 deste relatório, G. W. Amadon, que foi por muitos anos chefe da oficina da Review, (que naquele momento interrogava o Dr. Kellog) disse: "Vocês sabem e também eu, como se manipulavam os escritos dela desde o tempo do pr. White". Ao que Kellogg respondeu: "Claro que sei!" Na pagina 131 ha uma pesada declaração do Dr. Kellogg onde ele afirma que um dia o pr. Tiago White se aproximou dele e disse: "Dr. Kellogg, é maravilhoso; algumas vezes minha esposa tem as mais notáveis experiências; o Senhor se aproxima dela e ela tem as mais notáveis experiências; e logo vem mesmo o diabo e toma posse dela." (Kellogg Interview (Report), General Conference, 07/10/1907)

 

Não dava mais para não fazer ‘algo’ com Kellogg

Finalmente, aproximadamente um mês apos haver feito duras declarações contra Ellen G. White e os “testemunhos” perante G. W. Amadon e A.C. Bourdeau, a  Igreja de Battle Creek o ‘cortou’ do rol de membros (10/11/1907).  (www.whitestate.org) (Interview between Elder G. W. Amadon and J. H. Kellogg, Interview at Dr. J. H. Kellogg's House, Battle Creek, Michigan, October 7th, 1907)

 

Perguntas que não querem calar :

Teve Ellen G. White de fato uma visão sobre um edifício em Chicago ou se baseou na informação do New Yorker Observer?

Ellen G. White errou e não teve a humildade de reconhecer plenamente o seu erro? Por isso criou novas justificativas?

Surpreenderia aos adventistas de hoje as revelações de J. H. Kellogg que mostram que os líderes manipulavam Ellen G. White? A confirmação de G. W. Amadon aumenta o peso dessa revelação?

Por que os historiadores evitam dizer que Kellogg foi cortado da igreja em função de suas desavenças com Ellen G. White e outros líderes?

Porque a administração ‘cortou’ o Dr. Kellogg se ele negava ser panteista e ofereceu o livro para ser corrigido? Porque a organização não corrigiu o livro? Porque a liderança divulga até hoje a versão do Dr. Kellogg panteista?

Acha você pesada a declaração de Tiago White de que às vezes Ellen G. White era tomada pelo diabo?

 
Resp. O Dr. Kellogg nunca foi cortado da igreja, segundo as melhores informações.
As acusações contra ele foram injustificadas, pois nunca foi panteísta.
Também, por a culpa do Dr. Kellogg, ou no seu panteísmo pela crise existencial que a igreja passou, é um equivoco.

O apóstolo Pedro, ao lado de Jesus foi possuído pelo diabo, e a afirmação do marido de Ellen White não seria de todo estranha. A política suja da administração, foi fazer do Dr. Kellogg um "calabar"  da igreja Adventista.

A ATITUDE DA ADMINISTRAÇÃO MUDOU,
quando os netinhos milionários do dr Kellogg compraram uma grande parte da Loma Linda Food, e a parte de cereais do Superbom. --- "
nos compramos, mas parem de falar mal do vovô".

Isso eu notei, quando na mesma ocasião apareceram palavras de elogio ao Dr. Kellogg no website oficial da Conferência Geral. Hoje existe um pavilhão ao Dr. Kellogg no museu de um bairro inteiro da IASD em Battle Creek.

NOTA No Tempo do Fim: Esta sempre foi a IASD!!!

VISITE:

http://ocaminho.tripod.com

RETORNAR